Monitorando Serviços no Microsoft Azure com (AzureWatch)

Nesse artigo vamos mostrar uma ferramenta sensacional de monitoramento e gerenciamento do Microsoft Azure. O AzureWatch oferece monitoramento ativo e auto-scaling para aplicativos do Microsoft Azure. Hoje a ferramenta ainda não atende à todos os recursos, então vamos citar o que está disponível e o que podemos esperar em breve.

Serviços suportados:

No momento, AzureWatch suporta o monitoramento dos seguintes recursos Azure-relacionados (no entanto, a lista de recursos suportados está crescendo rapidamentea cada dia):

  • Cloud Services (Web/Worker Roles)
  • SQL Azure Databases
  • SQL Azure Federations
  • Azure Storage Accounts
  • Public URLs
Também, AzureWatch suporta auto-scaling da seguinte lista de recursos relacionados com o Azure:

  • Cloud Services (Web/Worker Roles)
  • Virtual Machines (stand-alone or in Availability Sets)

Serviço não suportado:

O AzureWatch, não suporta a monitoramento ou auto-scaling do Microsoft Azure Serviços Móveis

Clientes que desejam utilizar AzureWatch, precisam se inscrever para uma conta de teste gratuito. Uma vez cadastrado, o pleno acesso ao portal de gestão do AzureWatch é liberado.

Veja abaixo para quem ainda não conhece sua interface de gerenciamento:

Muito bem detalhado e de configuração simples, o AzureWatch tem diversos recursos e logs, alertas por e-mail, gerenciamento de banco de dados, usuários, máquinas virtual, criação de métricas e muitos outros recursos que precisamos no dia a dia. Você pode encontrar o AzureWatch em sua conta do Microsoft Azure e instalar em MarketPlace. Veja na imagem abaixo:

Esperamos que essa dica seja útil para quem está à procura de uma ferramenta completa em gerenciamento, dentro dos serviços online da Microsoft.

Backup / Restore de Site no Microsoft Azure com MySQL

Nesse artigo vamos mostrar como é realizado um backup e restore, de um site com banco MySQL, dentro dos serviços online Microsoft Azure. Quando criamos um site no Microsoft Azure, escolhemos uma opção de banco de dados e nesse artigo optamos pelo banco MySQL. Vamos agora, mostrar onde encontrar o banco de dados e visualizar os serviços vinculados ao mesmo.

Acesse a opção sites, escolha o site desejado e no painel inicial procure “Recursos Vinculados”. Confira na imagem abaixo:

Quando o site é gerado, automaticamente o serviço “Cleardb” é iniciado, fazendo o backup e disponibilizando estatísticas e recursos. Você pode efetuar um backup a qualquer momento clicando em “Create a Backup Now” ou restaurar um bando na data que estiver disponível. Esse serviço é de extrema importância e essencial contra desastres e períodos de testes.

Exemplo: Imagine que você fez uma alteração na URL em seu site no WordExpress e não consegue mais acessá-lo, sem muito esforço e trabalho, utilize o serviço de restauração e pronto. Seu site voltará ao normal em minutos.

Na imagem abaixo, mostramos uma tarefa sendo executada. Dependendo do tamanho do banco pode demorar, mas se o banco for pequeno em segundos o backup é efetuado.

Ótimo recurso e esperamos que ajude a todos que não conheciam e precisam efetuar um restore de seu site, dentro dos serviços online Microsoft Azure.

Definir Servidor de Licenças RDS Windows Server 2012 R2

Nesse artigo vamos mostrar como apontar em um ambiente de Remote Desktop Services qual servidor irá responder as licenças Cals para acesso aos clientes RDP. Muitas mudanças foram efetuadas do Windows Server 2008 R2 para o Windows Server 2012 R2 e as dúvidas que recebo diariamente são causadas por essas mudanças. Um Dashboard criado no Windows Server 2012 R2, contém todas as informações e configurações, portanto, a dica é sempre utilizá-lo.

Primeiramente acesse o “Gerenciamento do Servidor”, onde encontra-se a função de RDS instalada. No menu lateral, encontre a opção “Serviços da Área de Trabalho Remota” e depois clique em “Conjuntos”, como mostramos na imagem abaixo:

Acessando a opção “Conjuntos”, clique em “Tarefas” e depois em “Editar Propriedades de Implantação”, como mostramos na imagem abaixo:

Nas configuração de implantação, você poderá especificar qual servidor de licença quer utilizar dentro de seu domínio. Insira o nome de seu servidor que desejar e clique em “Adicionar”.

Pronto! Seu servidor de licenças RDS estará disponível para seus clientes RDS e prontos para a geração das licenças. Para chegar nessa fase, você deve estar com o seu servidor de licenças configurado e ativo, para que tudo funcione de forma perfeita. Esperamos que essa pequena dica ajude a todos a se adaptarem com o novo visual do Remote Desktop Service e ajudá-los em um possível upgrade de servidores.

Aumentando Memória de uma VM no Microsoft Azure

Nesse pequeno artigo vamos mostrar uma tarefa bem simples, mas que muitos profissionais que estão iniciando nos serviços online da Microsoft possuem dúvidas. Aumentar a memória de uma máquina virtual dentro do Microsoft Azure é muito simples e não requer nenhum conhecimento técnico profundo. Uma dúvida que sempre esbarro é “Devo reiniciar a VM para aplicar a nova configuração de memória”? A resposta é “Sim” , o restart da máquina virtual ocorre, mas de uma forma muito rápida e logo todos os serviços serão restabelecidos.

Para efetuar a configuração, acesse o menu lateral em seu portal Microsoft Azure e clique na VM desejada, clique em “Configurar” como mostramos na imagem abaixo:

Em nosso exemplo, aumentamos nossa memória de 1,75GB para 3,5GB e automaticamente passamos de A1 núcleo de processamento para A2 núcleos. Escolha a opção que desejar e clique em “Salvar”. Sua VM será reiniciada e você pode acompanhar o status, conforme mostramos na imagem abaixo:

Pronto! Confira se a configuração foi aplicada com sucesso. Veja na imagem abaixo em nosso exemplo:

Essa configuração poderá ser modificada a qualquer momento, tanto para mais memória ou para menos. Essa facilidade em estar nos serviços de nuvem é uma ótima vantagem nos dias de hoje. Esperamos que ajude a todos os administradores e iniciantes dos serviços online da Microsoft.

Software Auditoria de Arquivos no Windows Server – LepideAuditor for File Server

Hoje vamos deixar uma boa dica de software “não gratuito” para empresas e profissionais que desejam aplicar uma boa auditoria em sua estrutura de arquivos. Esse tipo de solução é muito procurada dentro da estrutura de Windows Server, pois muitos não conseguem trabalhar com a própria auditoria do Windows que sempre foi nativa.

Tivemos um ótimo retorno ao implantar essa excelente ferramenta. O grande desafio era encontrar o autor de remoções contínuas e quem movia algumas pastas dentro de um cenário “File Server”, e logo a ferramenta nos proporcionou muito mais do que o desejado. Veja abaixo o visual da ferramenta:

01Na imagem acima, você poderá ter uma noção do que a ferramenta pode lhe proporcionar em resultados de auditoria. Com banco de dados baseado em SQL Server e suporta SQL Express sem ser necessário a compra do mesmo, claro com suas limitações de tamanho e acessos.

Para conhecer as soluções, acesse o site oficial:

http://www.lepide.com/solutions/

Para efetuar o download do “LepideAuditor for File Server”, veja o link abaixo:

http://www.lepide.com/file-server-audit/download.html

Para que todas as funções do LepideAuditor for File Server funcione, você deverá ativar a versão trial 15 dias com a chave recebida por e-mail.

 

Acessando Estrutura FTP de um Site no Microsoft Azure

Nesse artigo vamos mostrar como acessar a estrutura de pasta de um site criado dentro do Microsoft Azure. Muitas dúvidas foram aparecendo durante esses últimos meses de como acessar a estrutura FTP  de um site, criada pelo serviços online do Azure. Quando geramos um site no Microsoft Azure, todos os endereços são disponibilizados no painel direito, mas as credencias de FTP ficam no aguardo de uma redefinição de senha para implantação e primeiro acesso. Enquanto essa senha não for alterada o acesso ao FTP fica indisponível.

Confira na imagem abaixo, onde redefinir suas credenciais de implantação, para ter o acesso a estrutura de pasta FTP do seu site no Microsoft Azure:

Aguarde a tarefa ser concluída, como mostramos na imagem abaixo:

Depois que suas credenciais foram alteradas, veja que aparecerão conforme mostra a imagem abaixo:

Você poderá utilizar qualquer FTP cliente e colocar endereço disponibilizado pelo Microsoft Azure. Veja na imagem abaixo o acesso efetuado via navegador:


Com esse procedimento, você poderá efetuar a manutenção em sua estrutura de site. Esperamos que essa dica ajude a todos que estão iniciando seus trabalhos e implantação dentro dos serviços online da Microsoft.

Dica para Agilizar seu Dia no Outlook 2013 (Partes Rápidas)

Nesse pequeno artigo vamos deixar uma boa dica para aqueles que utilizam o Outlook e sempre precisam agilizar seu dia com respostas rápidas e ligeiras. O nome do recurso que vamos mostra chama-se “Partes Rápidas” e serve para criar atalhos de textos, número que você sempre costuma digitar ao enviar ou responder um e-mail em seu dia à dia. Vamos ver na prática:

Ao enviar um novo e-mail, clique na aba “Inserir”. Você vai encontrar a aba “Partes Rápidas”, como mostra a imagem abaixo:

1

 

No caso abaixo, vamos cadastrar como parte rápida um número de CPF que sempre estou digitando em minhas tarefas diárias. Para inserir esse CPF como “Parte Rápida”, selecione o texto desejado, clique em “Partes Rápidas” e depois em “Salvar Seleções na Galeria de Partes Rápidas”:

2

Será exibido um novo bloco de construção, que você deverá preencher apenas o campo “Descrição”, pois isso facilitará a procura caso queira editar algum texto no futuro. Clique em “OK” para finalizar essa etapa e confira a imagem abaixo:

3

Com o procedimento acima efetuado, digite “CPF:” e veja que o texto será completado automaticamente, assim agilizando sua digitação e seu trabalho.

4

Você pode ter diversas partes rápidas, pois elas serão organizadas de forma clara e veja abaixo como ficará:

5

Legal né? Faça o teste já. Insira os textos que sempre digita em seu dia à dia e ganhe tempo para outras tarefas mais complicadas. Usando a tecnologia para facilitar e não complicar, para isso o Outlook nasceu. Grande abraço e compartilhem a dica com os amigos que sempre reclamam por falta de tempo.

Limpando Armazenamento (Blob) no Microsoft Azure

Nesse artigo vamos mostrar como efetuar a limpeza do armazenamento dentro do Microsoft Azure. Toda máquina virtual que criamos ou até mesmo um utilitário de monitoramento, podem criar “Containers” e isso pode gerar uma desorganização dentro do seu ambiente de nuvem.

Uma boa prática em nuvem, é sempre manter seu ambiente limpo e nunca deixar que discos que não são mais utilizáveis, soltos sem qualquer tarefa.

Clicando em armazenamento, você encontra seus repositórios de discos. Clique no qual deseja efetuar a limpeza, como mostramos na imagem abaixo:

Com o seu armazenamento aberto, clique em “Containers”, veja abaixo que temos um aplicativo de terceiro chamado “Azure Watch” e alguns VHDs:

Clicando em VHDs, percebemos que alguns deles não estão sendo mais utilizados por nenhum aplicativo ou máquina virtual, portando devemos excluí-los. É de extrema importância que, antes da exclusão, verifiquem pela data de última atualização ou até mesmo pela URL, para que não remova algo errado, causando perda de dados em seu ambiente Azure.

Encontrando o VHD correto para exclusão, clique em “Sim”, como mostramos na imagem abaixo:

Com esse procedimento, seu ambiente em nuvem, permanecerá sempre organizado e de fácil gerenciamento. Toda parte de armazenamento de VMS e aplicativos de terceiros, são encontradas nesse local. Espero que algumas dúvidas tenham sido esclarecidas e a dica seja aplicado a todos que utilizam os serviços online da Microsoft.

Cansado do Baidu e outras ferramentas?

 

Venho nesse artigo expressar minha grande indignação sobre diversas ferramentas que são embutidas em softwares mais utilizados no dia a dia do usuário e profissionais de TI. Quem nunca tentou baixar uma ferramenta e não encheu o computador de softwares indesejados e algumas vezes maliciosos.

O Baidu é um dos pioneiros e mais conhecidos entre os usuários, como o software mais chato e invasor. Entendemos que a empresa possui ferramentas de segurança, mas a forma de ser instalada causa indignação e medo. Veja alguns exemplos e imagens de alguns clientes que instalaram essa ferramenta, através de algum outro software:

Versão Baidu chinês:

01Processos no “Gerenciador do Windows”:

02No “Painel de Controle” do Windows:

03Em “Serviços” no Windows:

04

Regras no Firewall do Windows criadas automaticamente:

05A grande pergunta é: Como podemos nos unir e acabar com essa praga?  

Gostaria abrir esse post para tentarmos coletar e discutir opiniões. Podemos compartilhar nos comentários ferramentas para nos livrar e proteger dessas pragas que atrasam o dia a dia do profissional e até mesmo o usuário comum.

Alguns casos de mudanças de página inicial, acabam deixando os usuários que não possuem um conhecimento técnico, ficam totalmente reféns dessas ferramentas. Já pegamos casos que mesmo alterando, registros, ícones, complementos, mecanismos de busca, entre outros…a página só voltou ao normal, após uma varredura com SpyHunter apontando todos os caminhos, e acreditem, não eram poucos arquivos.

Grande abraço a todos e ajudem a compartilhar.

Controle Remoto Sem Permissão – RDS Windows Server 2012 R2 Via GPO

Nesse artigo vamos mostrar como alterar as permissões de controle remoto ou sombra, no Remote Desktop Service no Windows Server 2012 R2. Com as mudanças no serviços de RDS, muitos administradores não encontraram uma forma de configurar via console as permissões para acesso da sessão do usuário. Esse opção é muito utilizada no Windows Server 2008 R2 para monitorar usuários ou até mesmo facilitar o acesso para uma manutenção sem permissão. No Windows Server 2012 R2, essa configuração só é possível via Group Policy, pois essa opção não está disponível nas configurações do RDS.

Primeiramente acesse a GPO que deseja editar, e faça o seguinte caminho:

Configurações do Usuário/Políticas/Modelos Administrativos/Componentes do Windows/Serviços da Área de Trabalho Remota/Host de Sessão da Área de Trabalho Remota/Conexões/Definir regras para o controle remoto de sessão do usuário…

Confira a imagem abaixo:

Habilite a regra e defina qual regra deseja aplicar e qual se encaixa melhor para seu ambiente. Veja que possuímos as opções abaixo:

  1. Controle remoto não permitido;
  2. Controle Total com permissão do usuário;
  3. Controle Total sem permissão do usuário; 
  4. Exibir Sessão com permissão do usuário;
  5. Exibir Sessão sem permissão do usuário.

No exemplo abaixo escolhemos a opção para “Controle Total sem permissão do usuário”, ou seja, o administrador irá conectar sem pedir qualquer autorização ou mensagem na tela do usuário final.

Com isso você terá o controle das sessões e poderá conectar via sombra nos serviços da área de trabalho remota. Esperamos que essa dica ajude a todos que estavam procurando por essa configuração e se adequando ao novo RDS do Windows Server 2012 R2.